pcp

PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS

Comissão Concelhia de Castro Marim


Encerramento de Escola de Odeleite, desmascara ainda mais este Governo.

 

Recentemente, o Governo PSD/CDS anunciou a sua intenção de dar continuidade ao processo de encerramento de mais escolas do 1º ciclo do ensino básico, designadamente escolas com menos de 21 alunos, estando referenciadas no Algarve, entre outras, a escola básica de Odeleite – Castro Marim;
Com esta decisão, o Governo de Passos Coelho e Paulo Portas irá continuar a contribuir para desertificar ainda mais, vastas zonas do país, retirando as crianças do seu ambiente natural, quebrando laços familiares de grande importância para o seu equilíbrio emocional, obrigando a alterações de horários e a deslocações desnecessárias, não respeitando as Cartas Educativas aprovadas nos órgãos municipais e homologadas pelo governo

.
Lógico que esta medida não deixou de ser pensada ou tão pouco aconteceu por mero acaso.
Medidas, roubos, armadilhas que apenas defendem os interesses deste Governo e dos seus amigos, abrindo portas para a privatização total das Escolas, dando assim mais um negócio aos amigos dos amigos. Esta é uma decisão que não pode também deixar de responsabilizar os eleitos locais e direcções locais dos partidos do governo (PSD/CDS).

 

Nenhuma Escola deve encerrar sem acordo dos pais, dos órgãos autárquicos e dos representantes dos profissionais de educação, e só se comprovadamente a alternativa for melhor para as crianças e para o processo de aprendizagem.


É uma hipocrisia dizer que estão preocupados com o desenvolvimento do interior e com a desertificação e optarem por fechar serviços públicos de proximidade que podem promover o desenvolvimento.

 

A comissão concelhia do PCP em Castro Marim recorda que a mal chamada “reorganização da rede escolar” teve o seu grande impulso com a Ministra da Educação Maria de Lurdes Rodrigues, do então Governo do PS / José Sócrates que decidiu em 2010, fechar centenas de escolas por todo o país contra a vontade das populações.

 

As razões apontadas pelo actual Governo sustentam-se em argumentos que não têm nenhum suporte pedagógico ou que melhore a qualidade da educação.


Nesta visão “economicista” da rede escolar, o que conta para o Governo são “os números”, não tendo presente o desenvolvimento das crianças, a coesão territorial, os postos de trabalho no sector, nem as preocupações com o eventual despovoamento das comunidades.


Na sua vontade cega de reduzir a despesa pública a todo o custo, não para resolver os problemas do país mas para servir os interesses da banca e dos restantes grupos económicos, o Governo não olha a meios, nem que isso prejudique gravemente as populações como acontece no Concelho de Castro Marim, sob o qual, depois de sucessivos encerramentos de serviços públicos, pende também a ameaça da repartição de finanças.


Os milhões que foram desviados para a banca e para as PPP dão para manter a escolas e outros serviços públicos durante décadas.



Esta é uma situação inaceitável, claramente violadora da Constituição da República e que merece repúdio e combate por parte dos trabalhadores e das populações:


A Comissão Concelhia do PCP em Castro Marim apela à luta, afirmando que poderão contar com a força do PCP no combate a esta medida, onde tudo fará para que o dia 13 de Junho não seja o último dia de aulas nesta Escola.


Esta é mais uma confirmação para a exigência da demissão deste Governo, que está ao serviço dos seus interesses e ao serviço dos grandes grupos económicos.


É urgente a ruptura com a política de direita e a construção de uma política alternativa, patriótica e de esquerda, que responda aos problemas do país.


O país precisa de uma política patriótica e de esquerda que retome os valores de Abril e dê cumprimento ao projecto de progresso e justiça social que a Constituição da República Portuguesa consagra.


Ao mesmo tempo que apelamos à luta das populações e dos trabalhadores, contra o encerramento da escola de Odeleite e que, deve ser exigida uma atitude da Câmara Municipal, que foi eleita para defender os interesses das populações.



Apelamos também à participação na jornada de luta, promovida pela Fenprof e com o apoio da Comissão de Utentes dos Serviços Públicos de Castro Marim a decorrer junto à Escola de Odeleite no dia 12 de Junho às 16 h, continuando a lutar os dias e as vezes que forem necessárias para que a escola se mantenha em funcionamento na Freguesia de Odeleite.



A Comissão Concelhia de Castro Marim do PCP

 

XX Congresso PCP

desenho2

Ligações

avante_mod2cor

militante_mod2cor

ediesavante_mod2cor

Contactos - www.algarve.pcp.pt