Início

Newsletter

Assinar Newsletter:


Receber em HTML?




PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
telafundoAOR
 
PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
pcp

PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS

 Comissão Concelhia de Silves

 

População de Silves saberá avaliar chumbo do orçamento da
câmara pelo PS e PSD

Há sensivelmente um ano as populações de Silves escolheram a CDU para dirigir o Município de Silves. Para trás tinham ficado 16 anos de gestão PSD, marcados pelo crescente endividamento da autarquia, pela subida de taxas e tarifas municipais, pelos cortes nas transferências para as freguesias e colectividades, por negócios danosos e ilegais como o caso Viga D´ouro, pela degradação do ambiente e falhas graves na limpeza urbana e recolha do lixo, pela crescente desorganização e estrangulamento dos serviços camarários, pelo compadrio e amiguismo à volta do Município. A isto tudo as populações disseram não!

 

A vitória da CDU nas últimas eleições autárquicas marcou uma viragem no concelho de Silves: a limpeza urbana que caminhava a passos largos para a privatização melhorou; as contas foram metidas na ordem, pagando aos fornecedores a menos de 30 dias; os trabalhadores da autarquia viram as suas condições de trabalho valorizadas e foram os primeiros no Algarve a recuperar as 35 horas; as freguesias e colectividades viram aumentadas as transferências do Município; as populações passaram a ser ouvidas e atendidas pelos eleitos; o IMI baixou para o valor mínimo; as comemorações do 25 de Abril vieram para a rua, afirmando os seus valores contra a política de destruição nacional que está em curso.

 

Mas ainda há muito por fazer e para isso a aprovação do orçamento municipal para 2015 é fundamental. Um orçamento cuja construção envolveu a auscultação dos partidos políticos representados na Assembleia Municipal e dos Presidentes das Juntas de Freguesias, das associações e colectividades, e dos trabalhadores/setores da autarquia. Um orçamento realista, sem receitas inflacionadas como acontecia antes, que a ser aprovado permitirá manter as verbas para as Freguesias, reforçar as transferências para Bombeiros e colectividades, desagravar a carga fiscal sobre a população (ao contrário do que faz o Governo), e aumentar o investimento em muitas das obras que fazem falta. É de facto um orçamento diferente dos do PSD, mas quem recebeu o apoio das populações para dirigir o Município foi a CDU.

 

O chumbo por parte dos vereadores do PS e PSD ao orçamento do Município de Silves, quando a esmagadora maioria das suas propostas foi acolhida, só pode ser entendido à luz de uma estratégia cuja preocupação não são os interesses das populações, das Freguesias, dos trabalhadores do Município, mas a de criar dificuldades à afirmação do projecto da CDU.

 

Não há nenhuma comparação entre os orçamentos anteriormente chumbados na Câmara e que eram marcados pelo saque fiscal, os cortes às Juntas de Freguesia e a falta de clareza, e este que a CDU apresentou, que é realista (a execução orçamental em 2013 situou-se nos 31,2 milhões de euros) e socialmente justo. O PS e PSD deram outra vez as mãos, como aliás têm dado, como se viu no acordo com a Troika estrangeira, com os apoios aos banqueiros e grupos económicos, com os cortes nos salários e direitos de quem trabalha, com a degradação e destruição dos serviços públicos.

 

Naturalmente que as populações saberão fazer o seu julgamento quanto a esta atitude cuja principal vítima não é a CDU, mas os mais de 37 mil habitantes deste concelho. Não temos nenhuma dúvida também que muitos dos que votaram nas últimas eleições autárquicas no PS e PSD, não acompanham esta atitude irresponsável, vingativa e sem sustentação. No entanto, há ainda tempo para corrigir esta decisão. Os eleitos da CDU tomarão novamente a iniciativa de falar com todas as forças políticas – coisa que nunca se verificou no passado – para examinar as possibilidades de ultrapassar o problema que PS e PSD criaram.

 

Convictos de que não vão ser estas ou outras manobras que irão colocar em causa a mudança que Silves escolheu há um ano atrás, os eleitos da CDU reafirmam o seu compromisso de trabalho, honestidade e competência inteiramente ao serviço do concelho de Silves.

 

Silves, 6 de Novembro de 2014

 

A Comissão Concelhia de Silves do PCP

 
PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
pcp

PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS

Direcção da Organização Regional do Algarve

 

Acção nacional do PCP no Algarve

 

«A Força do Povo, por um Portugal com futuro

uma política patriótica e de esquerda»

 

O PCP inicia, nesta 6ª feira, dia 24 de Outubro no Algarve, a acção nacional sob o lema «A Força do Povo, por um Portugal com futuro – uma política patriótica e de esquerda», e que culminará, nesta sua primeira fase, em Dezembro próximo. Ampliar o debate sobre a política alternativa, alargar o debate à contribuição de muitos outros democratas e patriotas sobre os eixos essenciais dessa política, elevar a consciência em muitos milhares de portugueses não apenas sobre as razões e consequências da política de direita mas sobretudo com a demonstração de que há alternativa..

 

A acção nacional «A força do povo por um Portugal com futuro – uma política patriótica e de esquerda» desenvolver-se-á no Algarve, em simultânio com a preparação da 8ª Assembleia da Organiza Regional do Algarve que terá lugar no próximo dia 29 de Novembro, na Escola Superior de Saúde em Faro.

 

Durante as próximas semanas desenvolver-se-ão um conjunto de iniciativas, debates, visitas, acções de rua e de contacto com os trabalhadores e as populações e que visa identificar os eixos, os objectivos e as prioridades nucleares de uma política alternativa, patriótica e de esquerda, tão mais urgente quanto o caminho para ao abismo económico e social para o qual o País está a ser conduzido que estabelecerá os conteúdos, um programa e um projecto para a inadiável política alternativa que assegure, viabilize e concretize a construção de um Portugal com futuro, e que afirma, com confiança, que reside no povo a soberania de decisão, que com a força do Povo, a sua luta e intervenção mas também as suas opções e escolhas é possível romper com décadas de política de direita e abrir caminho a uma política vinculada aos valores de Abril.

 

Das várias inicitivas que irão ter lugar no Algarve, destacam-se as seguintes:

 

Dia 24 de Outubro – Reunião do PCP com independentes sob o lema “Diálogo e acção por uma política patriótica e de esquerda” que terá lugar em Faro, às 21:30, no Centro de Trabalho do PCP, com a participação de Vasco Cardoso, membro da Comissão Política do PCP.

 

Dia 27 de Outubro – Visitas às instalações da empresa Frusual em Vila Nova de Cacela e Esquadra da PSP de Vila Real de Santo António, entre as 9:30 e as 12:30, com a participação de Paulo Sá, deputado do PCP na Assembleia da República

 

Dia 30 de Outubro – Sessão Pública “A Segurança Social, os direitos dos reformados e as suas condições de vida” que terá lugar em Faro, às 16:00, no Centro de Trabalho do PCP, com a participação de Fernanda Mateus, membro da Comissão Política do PCP

 

Dia 15 de Novembro – Tribuna Pública junto ao mercado de Lagos, às 9:30, com a participação de Vasco Cardoso, membro da Comissão Política do PCP.

 

Dia 29 de Novembro – 8ª Assembleia da Organização Regional do Algarve, às 10:00 na Escola Superior de Saúde em Faro, com a participação de Jerónimo de Sousa, Secretário-geral do PCP.

 

 

Faro, 22 de Outubro de 2014

 

O Secretariado da DORAL do PCP

 

 
convite_241014
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Pág. 1 de 70

Ligações

avante_mod2cor

militante_mod2cor

ediesavante_mod2cor

Video

balancoAR